Biblioteca Digital da UEM: Sistema Nou-Rau
Pgina Principal  Portugus   English  Español   Aumentar Texto  Texto Normal  Diminuir Texto
  Principal | Apresentao | Objetivos | Instrues Autores | Estatsticas | Outras Bibliotecas Digitais
  Sistema Integrado de Bibliotecas - SIB / UEM
Entrar | acessos | verso 1.1  
ndice
Pgina principal
Documentos
Novidades
Usurios

Aes
Consultar
Procurar
Exibir estatsticas

Procurar por:
Procura avanada

Dvidas e sugestes


Consultar: Captulo

Incio > Produo Cientfica do Nuplia/PEA > Captulo

Ttulo: Relaes entre macrfitas aquticas e fauna de peixes
Autor(es): AGOSTINHO, A.A.; GOMES, L.C.; JLIO JNIOR., H.F.
Palavras-chave [PT]:

Peixes. Macrfitas aquticas. Fauna associada.
Palavras-chave [EN]:
Fishes. Aquatic macrophytes. Associated fauna. Aquatic vegetation.
Resumo:
Synopsis:

Introduo

A presena da vegetao em corpos de gua um dos principais fatores ligados estruturao dos habitats ocupados pelas comunidades animais aquticos. Alm de seu papel na dinmica dos nutrientes, contribui para o aumento na heterogeneidade estrutural dos habitats, afetando a diversidade biolgica, as relaes interespecficas e a produtividade do sistema. A adio de complexidade estrutural ao ambiente aqutico, promovido pelas macrfitas aquticas, por exemplo, eleva a disponibilidade de abrigos para as espcies de peixes forrageiros e formas jovens daquelas de grande porte, reduzindo a taxa de mortalidade e influenciando as interaes interespecficas (Savino; Stein, 1982). As macrfitas fornecem, ainda, o substrato para o desenvolvimento de organismos utilizados na alimentao da maioria das espcies de peixes, pelo menos durante as fases iniciais de desenvolvimento, alem de servirem como locais de desova de espcies fitfilas (Dibble; Killgore; Harrel, 1996).

Os benefcios das macrfitas na estrutura das assemblias tm sido associados, segundo Miranda e Hodges (2000), ao balanceamento entre a eficincia de forrageamento dos predadores e s necessidades de refgio da presa (Heck Jr.; Thoman, 1981; Dione; Folt, 1991); elevao da capacidade de suporte pelas fontes de alimento resultantes do aumento na disponibilidade de substrato (Lillie; Budd, 1992), e elevao da produtividade decorrente de seu efeito positivo sobre a penetrao da luz (Trebitz; Nibbelink, 1996). Esses benefcios parecem ser mais evidentes em densidades intermedirias de macrfitas.

A importncia da presena das macrfitas para a diversidade especfica pode ser evidenciada por um paralelo entre uma floresta tropical luxuriante e uma rida paisagem de dunas. Embora no passvel de amplas comparaes, isso d uma dimenso das diferenas nas estruturas de habitats entre um corpo de gua com e sem macrfitas (Scheffer, 1998). Outro paralelo que soa razovel o da estrutura de populaes animais em ambientes aquticos dominados por uma nica espcie de macrfitas e as culturas monoespecficas na silvicultura. Em ambas as situaes, a diversidade de espcies animais reduzida.

Quando em excesso, entretanto, a eficincia de forrageamento dos predadores prejudicada, levando a reduo na biomassa destes, ao mesmo tempo que a reduo na mortalidade das presas aumenta suas abundncia e biomassa, fortalecendo as interaes competitivas, podendo resultar em baixo crescimento (nanismo). Alm disso, o excesso de macrfitas altera a qualidade da gua, especialmente a concentrao de oxignio durante os meses quentes e noite (Miranda; Driscoll; Allen, 2000), produzindo condies que podem no ser tolerveis pelos peixes e que se assemelham, em seus efeitos, reduo na eficincia do forrageamento e exacerbao das interaes competitivas (Miranda; Hodge, 2000).

Embora os estudos do papel das macrfitas aquticas na estrutura das assemblias de peixes tropicais sejam ainda escassos, busca-se, neste captulo uma breve reviso do conhecimento disponvel e uma avaliao das implicaes do controle dessas plantas sobre a ictiofauna.
Descrio:
AGOSTINHO, Angelo Antonio; GOMES, Luiz Carlos; JLIO JNIOR, Horcio Ferreira. Relaes entre macrfitas aquticas e fauna de peixes. In: THOMAZ, Sidinei Magela; BINI, Luis Mauricio (Ed.). Ecologia e manejo de macrfitas aquticas. Maring: EDUEM, 2003. cap.13, p.[261]-279.
Cdigo: 224

Responsavel: admin
Categoria: Aplicao
Formato: Documento PDF
Arquivo: 131-THOMAZ-Agostinho-etal.pdf
Tamanho: 1194 Kb (1222627 bytes)
Criado: 26-04-2008 12:02
Atualizado: 27-06-2008 16:41
Visitas: 3862
Downloads: 301

[Visualizar]  [Download]

Todo material disponvel neste sistema de propriedade e responsabilidade de seus autores.